sexta-feira, 22 de maio de 2009

Um dia eu chego lá...

            Todo mundo tem o mesmo sonho clichê de um dia chegar lá, inclusive eu, mas onde diabo fica esse lá? O que determina esse alvo, o “Lá”, é um fator variante peculiar de quem quer alcançá-lo. Para alguns “Lá” é um salário de três, quatro, cinco... Dez mil. Simples assim, mas o meu “Lá” não é tão perto, na verdade não seria vendido nem por centenas de milhares, mas um dia eu chego lá. É parecido com vencer na vida. Vencer na vida é comprar um carro do ano todo ano, uma casa em um bairro nobre e outra na praia, montar um bom guarda roupa, ir a reuniões sociais importantes, comprar amigos submissos e tudo regado a wiskey com gelo de água de côco? Eu quero um pouco mais que isso... Meus padrões são elevados demais pra essa sociedade idiota, desculpem-me a falta de modéstia, mas é a mais pura verdade. O que quero na verdade é tão pequeno e tão raro quanto um diamante azul, não quero glória, pois quem busca somente a glória não a merece (né Mário Quintana?) prosperidade também é muito relativo (eu só quero se for a do dicionário de latim “prosperitas – prosperidade; felicidade).

 

            Acho que a algum tempo as pessoas não precisavam de tanta coisa ao seu redor para serem felizes, talvez porque seus corações fossem menos vazios...

 

            Mas o que me fere os olhos ao observar é que as pessoas querem chegar “Lá” como se estivessem numa corrida de demolição e não olham para os lados. Pouco me importa o sonho da tua vida somente não atropele ninguém para consegui-lo. A vida não é uma competição!

 

Mas... enquanto eu não chego lá eu fico por aqui no meu observatório contemplando a imensidão.

  

2 comentários:

CAMILA disse...

UAU!
Li os interessantes 8 textos daqui... e simplismente fiquei espantada, como um acanhado cara, de cabelo bagunçado e que tem pouco mais de 67 quilos, consegue escrever tamanho peso crítico-filosofico!
Um dia desses estava pensando sobre esse "um dia eu chego lá..."
e advinha? cheguei a mesma conclusão.
Acho que quando o ser humano passa a se colocar na terra como um ser pensante, se expressa de forma muito relevante para a sociedade, você tem muito talento menino!
Não vou mentir, que entrei no teu blog, com poucas esperanças.. minha vã filosofia...
Aqui é bem melhor do que ficar até meia noite,esperando Jabour falar os seus bláblás muitas vezes comprados pela stalisnista da Globo!
Tu deverias atualizar isso aqui visse!
Agora me dá uma licencinha que eu vou continuar no teu observatório comtemplando a imensidão...

Leonardo Xavier disse...

Realmente, no mundo de hoje parece que por dinheiro vale tudo. Pisar, humilhar e maltratar o próximo, tudo é válido, desde que seja rentável para o status e o bolso.